XVI Jornada — 2017

Salve-se quem puder — RJ (2017)

logotipo_site

O significante – salvação – há muito pairou no horizonte da história da humanidade. Arregimentou performances e discursos, embrenhando-se nas diversas formas de subjetivação ao longo do tempo. Expandiu-se, inicialmente, de um imperativo exclusivamente religioso para o registro da cura, e, também, para alastrar-se no solo fértil da discursividade política, do Estado, de algumas práticas clínicas, da economia, das artes…

O caráter singular da nossa temática da Jornada de 2017 incide sobre a questão das tábuas de salvação, mais precisamente dos discursos salvacionistas diante de um contexto precário que o mercado neoliberal conduz as existências na contemporaneidade. Assim, acossa-nos, sobremaneira, questões do tipo: diante de tanta precariedade nas formas de vida em que estamos imersos, quais os discursos como tábuas de salvação emergiram e estão tendo aderência? Como eles se constituem? Quais as promessas, crenças e aderências subjetivas os matizam? Mas, fundamentalmente, nos perguntamos sobre a potência da psicanálise frente a tais discursos. Essas reflexões iniciais suscitam inúmeras questões que exigem novas articulações e necessitam ser revisitadas pela psicanálise.

Apostando que não há regra de ouro no trabalho ético de se posicionar subjetivamente na vida e também na capacidade de resistência e de experiencia da potência do comum, vamos esmerilhar as aderências, recrudescimentos e fluxos desses discursos salvacionistas com a realidade brasileira. Enfim, nossa jornada está implicada com o objetivo princeps da discussão através das intervenções éticas, estéticas e políticas na experiência da psicanálise.

23 de JUNHO, sexta-feira

16h00 – Abertura:
Maria Cristina Louro – Presidente do EBEP-RJ

17h00 – Becos com saída
Natasha Helsinger – EBEP-RJ
Victor Maia – Doutor em Filosofia pela UERJ e Subsecretário de Cultura de Nova Iguaçu
Rodrigo Ventura – EBEP-RJ
Mediação: Paula Gaudenzi

19h00 – Intervalo

19h15 – Conferência: A destruição continuada da política: crueldade, delação e o novo salvacionismo
Pedro Cunca Bocayuva – Professor do Núcleo de Estudos de Políticas Públicas em Direitos Humanos da UFRJ
Mediação: Elizabeth Donnici

24 de JUNHO, sábado

10h00 – Antes arte do que nunca
Nelma Cabral – EBEP-RJ
Pedro Cattapan – EBEP-RJ
Maria Cristina Louro – EBEP-RJ
Mediação: Zelia Villar

12h00 – Conferência: Há mundo por vir?
Débora Danowski – Professora de Filosofia da PUC-Rio
Mediação: Isabel Fortes

14h00 – Intervalo para almoço

15h00 – Quanto tempo o tempo tem?
Jorge Veschi – EBEP-RJ
Fábio Lacombe – EBEP-RJ
Leila Guimarães – EBEP-JF
Mediação: Paulo Próspero

17h00 – Em terra de egos quem vê o outro é rei
Flavia Sollero-de-Campos – Professora de Psicologia da PUC-Rio
Olavo Pinto – Médico Psiquiatra
Priscila Magalhães – EBEP-RJ
Mediação: Igor de Paula

19h00 – Intervalo

19h15 – Conferência: Novas formas de violência na sociedade brasileira
Joel Birman – EBEP-RJ
Mediação: Patrícia Andrade