Workshop – 29/09

DIA 29/09 – Sábado das 10h às 16h

Taxa de inscrição: R$ 50,00
Reserva de vaga mediante pagamento antecipado.

Workshop – A arte da escuta dos corpos e seus movimentos na clínica psicanalítica contemporânea

MESA 1 – 10h00 – 11h30

O corpo prêt-à-porter

Francisco Romão – Sociólogo, Mestre em História e Crítica da Arte pela UFRJ, Doutor em Ciências pela FIOCRUZ, Professor do Programa de Pó-graduação em Nutrição da UERJ e do Ensino de Biociências da FIOCRUZ.

Uma crítica à percepção do corpo como objeto manipulável, transformável, construído socialmente e pronto para vestir como se fosse um acessório da moda.

A imagem do corpo como fetiche na sociedade de consumo

Bianca Bulcão Lucena – Psicanalista, participante da Escola de Letra Freudiana

Um estudo sobre a imagem do corpo dito ideal oferecido enquanto mercadoria na atualidade. A essa mercadoria atrelam-se valores como plenitude, sucesso e felicidade que tem por função última velar a castração.

MESA 2 – 11h40 – 13h10 – Narcisismo e clínica das compulsões

Sem a criança maravilhosa, há morte a ser perpetrada na experiência psicanalítica?

Nelma Cabral – Psicanalista, membra do EBEP, Profª Titular do Curso de Psicologia da UNESA, campus João Uchôa

Pretende-se situar o dispositivo biopolítico na modernidade que levou Freud a formular “Sua majestade o bebê”, apresentar a relação entre o narcisismo primário e a pulsão de morte e a proposta de Leclaire, em 1977, sobre a experiência analítica em Mata-se uma criança. Pretende-se ainda mapear as mutações na invasão da vida pelo poder e problematizar a experiência psicanalítica na contemporaneidade.

Sofrimentos narcísicos e a clínica das compulsões na contemporaneidade: observações a partir de uma pesquisa clínica

Fernanda Pacheco Ferreira – Psicanalista, Pós-doutoranda PNPD PPGT/UFRJ, Pesquisadora do NEPECC/UFRJ, Professora Adjunta do IP/UFRJ e PPGTP/UFRJ.

Nesta apresentação propomos mostrar como esta configuração parece na clínica das compulsões, especialmente salientado o espectro dimensional amplo entre dois extremos: o da ”compulsão interiorizada”, melhor descrita no quadro clássico da neurose obsessiva, e o da ”impulsividade exteriorizada”, que acreditamos estar presente em muitas expressões clínicas da compulsão atualmente. Esta pesquisa é realizada pelo Núcleo de Estudos em Psicanálise e Clínica da Contemporaneidade (NEPECC/UFRJ), coordenado por Teresa Pinheiro, Julio Verztman e Regina Herzog.

Almoço – 13h10 – 14h30

MESA 3 – 14h30 – 16h00 – Ouvir com os olhos: gestos, expressões, ritmos

Jô Gondar e Eliana Schueler Reis

Jô Gondar – Psicanalista, membro do Círculo Psicanalítico do Rio de Janeiro, Professora Titular da UNIRIO, atuando no Programa de Pós-graduação em Memória Social. Seu livro mais recente é “Com Ferenczi – clínica, subjetivação e biopolítica” (Ed. 7 Letras, escrito com Eliana Reis)

Eliana Schueler Reis – Psicanalista, membro do EBEP, Professora de Pós-graduação em Terapia através do Movimento – Corpo e Subjetivação da Faculdade Angel Vianna, autora dos livros De corpos e afetos – transferências e clínica psicanalítica e Com Ferenczi – clínica, subjetivação e biopolítica em coautoria com Jô Gondar.

Pretendemos trazer uma reflexão sobre um modo de operar na clínica que não se resume a uma escuta flutuante no registro do discurso verbal, mas que traz uma disponibilidade para outros sentidos. Como se faz a recepção dos gestos, da expressividade, dos ritmos de cada um? Como acompanhar esses pequenos movimentos que trazem uma dimensão de memória não inscrita no recalque, não inscrita na representação, porém presente na sensibilidade do corpo?