Tardes Polêmicas – 27/04

DIA 27/04 – Sexta-feira às 16h
ENTRADA FRANCA

O duplo na literatura e na psicanálise

Cristina Birck

Psicanalista e tradutora, doutora em Teoria psicanalítica pela UFRJ.

A literatura e a psicanálise formam um belo par há bastante tempo. No texto de Freud de 1919, O Estranho, a referência a obras de ficção é vastíssima, e através delas o tema do duplo (um modo de Unheimlich) está presente. O duplo seria “essa invenção como defesa contra a extinção”, um produto do onipotente narcisismo primário, como afirma Freud em Das Unheimlich. Muito trabalhado no século XIX por escritores como Hoffmann e Chamisso, o duplo é apresentado como o reflexo no espelho e a sombra que ganham autonomia, a alma imortal, o sósia. Nos dias de hoje, sua aparição é menos notória sob essa forma, é menos fantástica, mas segue presente. Autores contemporâneos como José Saramago (O Homem Duplicado) e Philip Roth (Operação Shylock) transitam pelo tema. Como vê-lo hoje em dia pelo viés do conceito de narcisismo? Se na literatura fantástica, ele nos dá notícias de um outro que nos é estranho, esse Unheimlich que nos habita e acossa, o que sua expressão no contemporâneo pode destacar?