Conferência – 05/10

DIA 05/10 – Quinta-feira às 21h
ENTRADA FRANCA

Crianças, diagnósticos e remédios: reflexões sobre a medicalização.

Rossano Cabral Lima

Psiquiatra de crianças e adolescentes, doutor em Saúde Coletiva, professor e vice-diretor do Instituto de Medicina Social da UERJ.

É cada vez mais comum ouvirmos referências ao “avanço da medicalização” da vida contemporânea.  Mas o que isso significa exatamente? Medicalização, em geral, designa o fenômeno no qual eventos sociais ou condições subjetivas passam a ser descritos em linguagem médica e encarados como quadros patológicos, tornando-se passíveis de abordagens terapêuticas. Crianças e adolescentes podem ser considerados “população de risco” nesse processo, visto sua maior vulnerabilidade e dependência. Pretendemos, portanto, tomar a psiquiatria infantil como objeto de análise crítica, a partir dos novos diagnósticos e propostas de tratamento farmacológico, tendo como pano de fundo o debate sobre os critérios de normalidade e patologia nessa faixa etária.