Tardes Polêmicas – 11/08

DIA 11/08 – Sexta-feira às 18h
ENTRADA FRANCA

Em pauta: formação analítica

Apresentação: Grupo de Trabalho EBEP/RJ – “Problematizações da Formação em Psicanálise”

O grupo Problematizações da formação se propõe a apresentar as questões levantadas nas discussões ao longo de seu percurso ainda breve e recente. Sendo o EBEP uma instituição que se opõe e questiona radicalmente as instituições de formação, julgamos que seria importante voltar a trabalhar sobre a fundamentação desse posicionamento, muito embora este já tenha sido alvo de extensos debates e difíceis escolhas na ocasião de sua fundação.

A história da transmissão da psicanálise mostra, amplamente, que a questão do poder inerente aos laços transferenciais é um campo fértil para produzir submissões com destinos funestos, reféns de hierarquias institucionais. Os destinos desses processos institucionais reguladores e autorizadores da formação de um analista, integrados em redes de poder e prestígio, comprometem profundamente a transmissão da psicanálise.

Desejamos, então, pensar a transmissão da psicanálise no âmbito do EBEP com sua singular afirmação da horizontalidade e da pluralidade. Nessa situação, como pensar os aspectos ético-politicos das relações de poder, imantadas pela transferência, tanto na experiência clínica como no espaço institucional?

Sabemos o que é um analista?

Pontalis, por exemplo, afirma numa entrevista que jamais se intitula psicanalista, pois sentiria um desconforto no momento em que o fizesse, já que haveria uma traição à própria psicanálise naquilo que ela se impõe de não normativa. Não há permanência ou consistência nesse ser analista. Diz ele, inclusive: é possível, numa mesma sessão de análise, ocupar e perder esse lugar de analista.

Nesse ponto, destacamos a importância do espaço institucional coletivo para que esse trabalho fragmentário e interminável da formação seja problematizado. De fato, a horizontalidade e a diversidade de pensamento sustentadas pelo EBEP são um solo fundamental para que possamos manter nossa formação permanente, com sua riqueza e possibilidade de escuta, sendo submetida ao olhar do outro e ao questionamento constante e produtivo de nossos pares.

NOVO HORÁRIO: 18h